quinta-feira, 17 de novembro de 2016

'Crise' faz Projeto Guri fechar quatro polos na região

Decisão atinge Iepê, Panorama, Salmourão e Santo Anastácio. Atualmente são 37 unidades em funcionamento no Oeste Paulista

Projeto Guri está presente em 37 cidades do Oeste Paulista
(Foto: Projeto Guri/Divulgação)
Quatro dos 37 polos do Projeto Guri localizados no Oeste Paulista serão fechados após o término do ano letivo de 2016. O anúncio foi feito nesta quarta-feira (16) pela organização social de cultura Amigos do Guri, que explicou que o processo de readequação é para garantir a manutenção do programa. A partir de 2017, Iepê, Panorama, Salmourão e Santo Anastácio não contarão mais com as atividades do grupo.

Além disso, foi relatado que os fechamentos se dão em “razão da crise econômica nacional e a consequente queda de arrecadação”. A escolha dos mesmos levou em consideração critérios técnicos, como o Índice Paulista de Vulnerabilidade Social (IPRS), o histórico da relação de parceria estabelecida entre o Projeto Guri e os municípios, a qualidade dos espaços físicos nos quais os polos estavam instalados e o preenchimento das vagas oferecidas.

“As respectivas prefeituras foram informadas de que, caso o poder municipal ou outro patrocinador da região tenha a possibilidade e interesse de custear integralmente a manutenção dos locais, as decisões dos fechamentos podem ser revistas”, informou a Assessoria de Imprensa do Projeto Guri.

Atualmente, no Oeste Paulista, o Projeto Guri atua nas cidades de Adamantina, Anhumas, Caiabu, Dracena, Emilianópolis, Estrela do Norte, Iepê, Indiana, Inúbia Paulista, Irapuru, João Ramalho, Junqueirópolis, Martinópolis, Mirante do Paranapanema, Nantes, Narandiba, Osvaldo Cruz, Ouro Verde, Panorama, Parapuã, Piquerobi, Pirapozinho, Presidente Bernardes, Presidente Prudente, Presidente Venceslau, Regente Feijó, Rinópolis, Rosana, Sagres, Salmourão, Sandovalina, Santo Anastácio, Santo Expedito, Taciba, Tarabai, Teodoro Sampaio, e Tupi Paulista.

Música
Mantido pela Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, o Projeto Guri oferece, nos períodos de contraturno escolar cursos de iniciação musical, luteria, canto coral, tecnologia em música, instrumentos de cordas dedilhadas, cordas friccionadas, sopros, teclados e percussão, para crianças e adolescentes entre seis e 18 anos.

Mais de 49 mil alunos são atendidos por ano, em mais de 410 polos de ensino, distribuídos pelo Estado de São Paulo. Os cerca de 360 polos localizados no interior e litoral, incluindo os polos da Fundação Casa, são administrados pela Amigos do Guri, enquanto o controle dos polos da capital paulista e da Grande São Paulo fica por conta de outra organização social.

A gestão compartilhada do Projeto Guri atende a uma resolução da secretaria que regulamenta parcerias entre o governo e pessoas jurídicas de direito privado para ações na área cultural. Desde seu início, em 1995, o projeto já atendeu cerca de 650 mil jovens na Grande São Paulo, interior e litoral.

A Amigos do Guri é uma organização social de cultura que administra o Projeto Guri. Desde 2004, é responsável pela gestão do programa no litoral e no interior do Estado de São Paulo, incluindo os polos da Fundação Casa. Além do governo de São Paulo – idealizador do projeto –, a Amigos do Guri conta com o apoio de prefeituras, organizações sociais, empresas e pessoas físicas.

Instituições interessadas em investir na Amigos do Guri têm incentivo fiscal da Lei Rouanet e do Fundo Municipal da Criança e do Adolescente. Pessoas físicas também podem ajudar.  (Fonte: G1 Presidente Prudente)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores

Quem sou eu

Minha foto
Presidente Venceslau, Estado de São Paulo, Brazil
email: jornalintegracao@terra.com.br