quarta-feira, 9 de novembro de 2016

Em Venceslau já compensa abastecer tanque com gasolina

Em Presidente Venceslau, não é mais vantajoso abastecer
o carro com etanol (Foto Arquivo)
Por causa das cotações financeiras de mercado, as usinas continuam preferindo investir na produção do açúcar, na atual safra. A medida atingiu os estoques de etanol, prejudicando o comércio nos postos de combustíveis, com os preços subindo e sendo repassados ao consumidor final. 

A pouca oferta de etanol e a alta demanda elevaram o custo final na bomba em média para R$ 2,74, em Presidente Venceslau. Isso tem deixado muitos motoristas surpresos.

Com o baixo estoque nas distribuidoras, os preços continuam subindo e são repassados aos postos de combustíveis, ou seja, o consumidor. O preço do litro da gasolina também sobe, embora em menor escala. Em Presidente Venceslau, custa em média R$ 3,69.

Por apresentar aparentemente custo menor nas bombas, muitos consumidores ainda preferem abastecer os veículos biocombustíveis com etanol. O que muitos não sabem é que um simples cálculo pode ajudar o motorista a escolher o combustível mais vantajoso na hora de abastecer. 

Vale lembrar que o etanol é consumido mais rápido pelo motor flex em relação à gasolina.

Para saber se compensa abastecer com etanol, o preço do litro de etanol não pode ser superior a 70% do valor do litro da gasolina. Para fazer a conta, basta dividir o preço do litro do etanol pelo da gasolina. Se o resultado final for superior a 0,70, compensa abastecer com gasolina.

Em um posto de combustíveis, situado na Rua Bernardino de Campos, o litro do etanol custa R$ 2,75 e o da gasolina R$ 3,79. O resultado final do cálculo é 0,81. Dessa forma, compensa abastecer o veículo com gasolina. 

O mesmo ocorre em um posto da Avenida Princesa Isabel, onde o litro do etanol custa R$ 2,72 e o da gasolina, R$ 3,62, com resultado final de 0,75. Já em um posto da Avenida Dom Pedro II, onde o litro do etanol custa R$ 2,73 e o da gasolina, R$ 3,68, o resultado final é de 0,74.

Sem redução

O consumidor paulista não irá encontrar gasolina mais em conta no Estado, conforme anúncio da Petrobas na semana passada.

A estatal reduziu em 3,2% o preço do litro do combustível e estimava uma queda de R$ 0,05 nas bombas.

Para o Sincopetro (sindicato dos donos de postos de combustível), porém, a redução seria menor, de R$ 0,03, mas nem isso chegou ao cliente final.

Um dos motivos para os preços da gasolina seguirem sem redução é a alta do preço do álcool anidro, que representa 27% da gasolina. Na prática, tem havido reajuste.  (Fonte: Integração Regional)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores

Quem sou eu

Minha foto
Presidente Venceslau, Estado de São Paulo, Brazil
email: jornalintegracao@terra.com.br