quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Encontro termina sem acordo sobre reativação do transporte ferroviário

Evento debateu a necessidade do serviço e a demanda de empresários. Reunião foi realizada nesta quarta-feira (30), em Presidente Prudente

Sem acordo. Foi assim que os representantes da União das Entidades de Presidente Prudente e Região (Uepp) definiram o encontro realizado na manhã desta quarta-feira (30), em um hotel no Centro de Presidente Prudente, com entidades associadas com a empresa Rumo sobre a demanda e a reativação do transporte ferroviário na região. Segundo o diretor de Comunicação da Uepp, Marco Antônio Goulart, a região tem oferta quatro vezes maior do que a necessária para que o serviço seja reativado.

Marco Antônio Goulart, diretor de Comunicação
da Uepp (Foto: Valmir Custódio/G1)
“Não teve acordo, apenas uma promessa de que, até 15 de janeiro, a ALL [América Latina Logística] vai visitar essas empresas, levantar esses números e assim apresentar os preços. Foi uma reunião comercial, onde eles [Rumo] alegam que querem uma especificação da demanda da região, ou seja, que tipo de produtos eles vão transportar. Com isso, apresentar uma tabela de preço. Isso é completamente não condizente com a realidade e beira à má-fé. Eles querem vender um produto que não têm para entregar, que é o transporte ferroviário”, ressaltou o diretor de Comunicação da Uepp, Marco Antônio Goulart.

O diretor também destacou as condições atuais da malha ferroviária na região. “A linha férrea está intransitável. Então, não adianta você especificar o produto se eles não têm a linha férrea trafegável. O que precisam é colocar uma data em que vão reativar a linha férrea e, aí sim, apresentar uma tabela de preço condizente com o mercado”, acrescentou.

Ainda de acordo com Goulart, a região de Presidente Prudente apresenta demanda suficiente para escoar produtos pela ferrovia. “A região tem demanda e isso já está provado e protocolado na Agência Nacional de Transportes Terrestres [ANTT] e no processo judicial que foi ajuizado pelo Ministério Público Federal. As empresas da região visitadas, e ainda aquelas que se propuseram a apresentar a demanda por escrito, já apresentam um número quatro vezes maior do que a demanda que a ALL precisa para colocar a linha em funcionamento”, pontuou Goulart.

“A região de Presidente Prudente tem de ser atendida. É uma concessão pública e eles têm o dever contratual de colocar essa linha férrea em funcionamento, que significa desenvolvimento para a nossa região”, concluiu Goulart.

Rumo
O representante comercial da Rumo, Gabriel Maranhão, participou do encontro, porém, não quis conceder entrevista.

Por meio de nota, a Assessoria de Imprensa da Rumo esclareceu que “vem cumprindo o seu papel de concessionária ferroviária de cargas e se mantém à disposição dos interessados em firmar contratos de transporte de longo prazo. A empresa já participou diversas vezes de seminários em Presidente Prudente, nos quais é explicado o funcionamento da ferrovia e onde é oferecido o transporte buscando a captação de cargas, firmando contratos de longo prazo e analisando possíveis origens, destinos, fluxos e volumes de transporte voltados à contratação”.

Com relação a reunião realizada nesta quarta-feira (30) com empresários e entidades da região, a empresa explicou que, “mais uma vez, demonstrando sua boa-fé, se disponibilizou a realizar reuniões específicas com a comunidade local com vistas a analisar propostas de contratos de transporte de longo prazo, que possam viabilizar o transporte ferroviário”, finalizou a nota.  
(Fonte: G1 Pres. Prudente)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores

Quem sou eu

Minha foto
Presidente Venceslau, Estado de São Paulo, Brazil
email: jornalintegracao@terra.com.br