segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

Prefeitura de Estrela do Norte é alvo de nova fase da Operação Tanque Cheio

Desdobramento ocorreu após análises de documentos. Casa do prefeito Hélio Lima dos Santos também foi vistoriada pelos policiais

Polícia Civil e MPE fazem desdobramento da Operação Tanque Cheio
em Estrela do Norte (Foto: Grissia Bueno/TV Fronteira)
A Polícia Civil e o Ministério Público Estadual (MPE) deram início na manhã desta segunda-feira (19) a buscas de documentos, na Prefeitura de Estrela do Norte e na casa do prefeito Hélio Lima dos Santos (PTB), com o objetivo de comprovar suspeitas de envolvimento no esquema de fraude em combustíveis, apuradas durante a Operação Tanque Cheio, realizada em Sandovalina. Além dos dois locais, também foram realizadas buscas no Almoxarifado Municipal e na residência de um assessor da Prefeitura.

De acordo com informações do delegado Rodrigo Moreira Sanches, a ação foi realizada após as análises nos materiais apreendidos na primeira fase da operação, em outubro deste ano. “Os documentos apresentaram uma suposta ramificação do esquema na cidade de Estrela do Norte. Mediante a isso, nos organizamos para apreender novos materiais, principalmente os de movimentação financeira, para comprovar a suspeita de fraude”, explicou Sanches ao G1.

O delegado afirmou que as buscas tiveram início nas casas do prefeito e do assessor. Em seguida, os trabalhos foram concentrados na Prefeitura e no Almoxarifado Municipal.

Ainda segundo o delegado, Hélio Lima dos Santos (PTB) ocupa o comando do Poder Executivo após ser beneficiado com liminares da Justiça, que o reconduziram ao cargo, depois de ser afastado pela Câmara Municipal por duas vezes. A liminar mais recente a favor de Santos foi concedida em 5 de dezembro pelo juiz da 2ª Vara Judicial da Comarca de Pirapozinho, Francisco José Dias Gomes, três dias após a decisão dos vereadores de afastar o prefeito do cargo.

Outro lado
A reportagem tentou contato com o prefeito Hélio Lima dos Santos na manhã desta segunda-feira (19), mas as ligações não foram atendidas. O advogado Sidney Duran Gonçalez, que atua na defesa do chefe do Executivo, alegou que foi informado pela Promotoria que o procedimento não faz parte de um processo criminal, mas, sim, civil.

O advogado informou que o prefeito levou os policiais até sua residência para verificar documentos e também acompanhou a ação no Paço Municipal. Conforme Gonçalez, a situação é referente a licitação de combustível realizada com o posto, em Sandovalina, envolvido na investigação da Operação Tanque Cheio, porém, não há indício de irregularidades.

A defesa ainda pontuou que, para ter acesso aos documentos, a polícia poderia tê-los solicitado à Prefeitura, que "prontamente atenderia o pedido".

Tanque Cheio
A Operação Tanque Cheio foi deflagrada pela Polícia Civil e pelo MPE, no início do mês de outubro, para apurar delitos relacionados a lavagem de dinheiro, peculato, concussão e favorecimento pessoal, entre outros, praticados na Prefeitura de Sandovalina.

No dia da operação, quatro funcionários da Prefeitura tinham sido presos. Posteriormente, no dia 17 de outubro, um casal, contra quem também havia mandado de prisão temporária expedido pela Justiça, também foi preso em Regente Feijó.

Na ocasião, 12 mandados de busca e apreensão foram cumpridos e diversos documentos foram recolhidos, além de uma arma de fogo. Foram vistoriados a Prefeitura de Sandovalina e as secretarias de Administração, Finanças e Transportes do município, além de outros locais relacionados com a investigação. Os agentes também estiveram no Posto de Saúde da cidade.  (Fonte: G1 Presidente Prudente)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores

Quem sou eu

Minha foto
Presidente Venceslau, Estado de São Paulo, Brazil
email: jornalintegracao@terra.com.br