quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Descubra a melhor maneira de utilizar o FGTS

Consultor financeiro dá dicas de como utilizar o dinheiro de forma consciente e benéfica para seu bolso

Consultor financeiro Dori Boucult 
O presidente Michel Temer liberou, no último mês, o saque do FGTS de contas inativas. O anuncio animou muitos brasileiros que estavam precisando do dinheiro, mas, qual a forma correta de utilizar essa nova renda? Para auxiliar os consumidores no uso adequado dessa ajuda do FGTS, o consultor financeiro e advogado especialista em direitos do consumidor e do fornecedor, Dori Boucault, preparou um guia, mostrando quais as melhores maneiras de utilizar a renda.

“Primeiro, é extremamente importante saber em quais situações você pode retirar seu FGTS. Geralmente esse recurso serve para dar um suporte financeiro para o consumidor. Ele só pode ser sacado em causas especiais como aposentadoria, morte, compra, reforma ou construção de imóveis e, na situação atual, quem pediu as contas no emprego até o final de 2015”, esclarece.
Quando se trata de finanças pessoais ou orçamento doméstico, a preocupação da população é geral. “Nesses casos é sempre muito importante se manter organizado para ter uma vida mais tranquila”, comenta Dori.

Muitas pessoas utilizam o benefício do FGTS de forma descontrolada e sem planejamento. Para não cair em armadilhas, veja quais as melhores formas de utilizar a nova renda:

1. Dívidas: se você se desorganizou com dívidas, o dinheiro do FGTS pode ser utilizado para uma renegociação que dará uma folga no seu orçamento. No caso de dividas no cheque especial ou em cartão de credito, tente o mais rápido possível quita-las, pois elas possuem os juros mais altos do mercado. "Negocie com as instituições credoras, com dinheiro na mão você pode conseguir um belo de um abatimento”, instrui o consultor.

Dori ainda lembra que é muito importante que não se aceite a oferta inicial feita na renegociação. “Não aceite a primeira proposta. Veja se é possível liquidar ou parcelar em valores fixos para você ter o controle da situação”, destaca o consultor financeiro.

Muitas vezes, o valor recebido do FGTS não será suficiente para a quitação das dividas, por isso não faça grandes empréstimos. “Se fizer isso você trocará seis por meia dúzia ou ficará em uma situação pior. Uma das opções para completar o pagamento, desde que não seja a longo prazo, é o empréstimo consignado, que porta juros bem menores em relação ao cartão de credito ou cheque especial”, completa o especialista.

2. Reserva para emergências: se está com as contas no azul e recebeu um dinheiro extra, como é o FGTS, uma dica extremamente importante nessa época atual de incertezas e desempregos é manter uma reserva de emergência. "Ela deve ser feita com um prazo de 3 a 6 meses do seu orçamento mensal para qualquer eventualidade, pois nós nunca sabemos o dia de amanhã. Então é importante estarpreparado”, recomenda o advogado. Essa reserva servirá de auxilio, caso seja demitido ou estiver desempregado e não tiver em vista um emprego de imediato. “Aplique o dinheiro em algo com muita liquidez, como poupança ou outro que tenha a liquidez rápida. O ideal seria usar apenas o rendimento para pagar as despesas fixas”, aconselha Dori.

3. Imóveis: uma das mais famosas finalidades de utilização do FGTS é na compra ou reforma de imóveis Nesse caso, pense muito bem sobre o assunto para você não entrar em uma divida de longo prazo. Você pode utilizar como entrada do imóvel, mas lembre-se que a compra de imóveis sempre apresenta um risco. "Tenha sabedoria e consciência de que, se estiver empregado, existe o risco de perder o emprego e você não terá uma reserva. Para a compra de um imóvel recomendo que se tenha uma estabilidade financeira ou um emprego que não apresente riscos”, alerta o consultor.

O FGTS também pode ser utilizado para pagar prestações ou quitar um imóvel. O uso desse fundo pode ser uma boa saída, desde que obedeça aos limites e não os ultrapasse. 

Outro caminho é utilizar o FGTS para construir, reformar ou ampliar o imóvel. “Procure saber as linhas de crédito e os instrumentos necessários. Com isso você pode usar esse valor para melhorar o imóvel existente”, orienta.

4. Reserva de longo prazo: Outra forma de utilização da renda extra é aplicar o valor com objetivo de criar uma reserva de longo prazo. “Coloque a aplicação em título de renda fixa que garante ganho acima da poupança. Existem diversas opções no mercado. Converse com gerentes ou funcionários para buscar taxas de administração vantajosas. Pode ser um reforço para a futura aposentadoria”, finaliza Dori.

Mais sobre Dori Boucault
Consultor de relação de consumo e advogado especialista em direito do consumidor e fornecedor, Dori Boucault, é um dos profissionais mais requisitados para palestras e seminários sobre o assunto. Em suas palestras e seminários, fala com desenvoltura sobre assuntos espinhosos que, por vezes, se tornam uma dor de cabeça para consumidores e fornecedores. Entre suas especialidades está a educação financeira, que auxilia o consumidor a controlar seus recursos. Dori possui uma forma irreverente de explicar os direitos e deveres de ambas as partes – cliente final e fornecedor – de forma didática, leve e descontraída. Para saber mais sobre Dori acesse www.doriboucault.com.br.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores

Quem sou eu

Minha foto
Presidente Venceslau, Estado de São Paulo, Brazil
email: jornalintegracao@terra.com.br