sexta-feira, 12 de maio de 2017

CATI promove cursos de capacitação em penitenciárias de PV e região

Segundo CATI, a iniciativa busca ampliar possibilidades de inserção social
 (Foto: Cedida / Cati)
Oportunidade, capacitação e vida nova. Esse é o resumo de um projeto que organiza cursos para oferecer oportunidades de reinserção a presos do sistema carcerário do Estado de São Paulo; a primeira experiência foi realizada em Presidente Venceslau.

O curso sobre aspectos relevantes da suinocultura, desenvolvido na região, tem levado esperança de dias melhores do lado de fora da penitenciária. Até o momento, 164 pessoas já foram capacitadas por meio do curso ofertado. O projeto é uma parceria da Secretaria de Agricultura e Abastecimento (SAA), por meio da Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (CATI), juntamente com a Fundação Professor Doutor Manoel Pedro Pimentel (Funap), vinculada à Secretaria da Administração Penitenciária (SAP).

Com o objetivo de colaborar com a Funap, a CATI Regional Presidente Venceslau firmou uma parceria com a Coordenadoria das Unidades Prisionais da região oeste (Croeste) em 2016. A penitenciária fez o levantamento das demandas locais e a Regional elaborou o plano de curso para a capacitação dos funcionários da SAP, que foram responsáveis pela difusão do conhecimento dentro das unidades prisionais da Região Oeste do Estado. Foram realizadas duas capacitações: curso básico sobre podas de árvores frutíferas e arborização urbana e curso sobre aspectos relevantes na suinocultura.

De acordo com a bióloga Martha Regina Lucizano Garcia, da assessoria técnica da CATI, a iniciativa busca ampliar as possibilidades de inserção social, empregabilidade e geração de renda para pessoas em privação de liberdade. Segundo ela, o gerente regional de Presidente Prudente da Funap, Milfran Melotti Evangelista, foi o responsável por propor o projeto e o diretor da CATI Regional Presidente Venceslau, médico veterinário Felipe Melhado, aprovou a ideia. “O Milfran achou interessante fazer um projeto piloto em Presidente Venceslau, portanto foi um projeto regional”, explicou Martha. A capacitação dos funcionários da SAP ocorreu na Penitenciária Zwinglio Ferreira, de Presidente Venceslau, que possui a estrutura necessária para cursos voltados para a área agrícola.

Melhado explica que o plano de curso desenvolvido pela CATI é semelhante aos usados para capacitação de técnicos. “Fizemos um plano de trabalho para a parte de podas de árvores frutíferas e arborização urbana e capacitamos os funcionários que lidam com as pessoas em privação de liberdade. Ao fim do curso, a CATI fornece um certificado de conclusão”, explicou o diretor da CATI Regional Presidente Venceslau. O curso de suinocultura, também ofertado, foi realizado dentro da unidade prisional, que tem capacidade para atender ao suporte de campo.

O reeducando M. J. D. afirma que o curso despertou o interesse dele em trabalhar com suinocultura. “Pretendo trabalhar com suinocultura utilizando as técnicas recebidas pelo curso após o cumprimento da minha pena”. O interno aproveitou para agradecer a oportunidade e afirmou que gostaria que o projeto fosse estendido a todos os sentenciados do sistema prisional.

Roberto Sidney Lopes, funcionário da penitenciária em Presidente Prudente, aproveitou para falar da experiência positiva em repassar o curso aos sentenciados. “Realizei o curso na Penitenciária I de Presidente Venceslau, onde fui multiplicador das técnicas desenvolvidas aos sentenciados que prestam serviços no regime semiaberto. Participar do curso possibilitou, além da aprendizagem, agregar a prática com a teoria, proporcionando um amplo enriquecimento na função que desempenho”, opinou. Para Sidney, os parceiros envolvidos no projeto “tiveram a sensibilidade de promover uma iniciativa de grande relevância a uma classe desfavorecida”, que necessita de cursos profissionalizantes no cárcere para que possam deixar a criminalidade e viver como cidadãos de bem na sociedade.

Para o coordenador da CATI, João Brunelli Júnior, o projeto tem um forte viés social. “Com a reinserção dos reeducandos na sociedade, a iniciativa permite que eles desenvolvam e aprimorem seus conhecimentos de formas teórica e prática para que, ao terem a chance de voltar ao convívio na sociedade, possam estar capacitados e até serem empreendedores com os conhecimentos adquiridos”, concluiu.

De acordo com o secretário da SAA, Arnaldo Jardim, a iniciativa faz parte das diretrizes das políticas públicas do governador Geraldo Alckmin. “Os cursos ofertados permitem aos internos a oportunidade de agregar novos conhecimentos e, assim, terem uma condição de vida melhor ao saírem do sistema carcerário”, afirmou.

Próximos passos
Com o sucesso da parceria entre os órgãos do governo paulista, o gerente regional da Funap revela que o próximo passo é propor o plano de trabalho para toda rede, que engloba oito macrorregiões: Araçatuba, Bauru, Campinas, capital, Grande São Paulo, Presidente Prudente, Ribeirão Preto e Sorocaba. “A intenção é divulgar outras culturas, como apicultura, plantas medicinais, entre outros”, disse.

“Cada região fará o levantamento de suas demandas e entrará em contato com as Regionais CATI. As Regionais da CATI ficarão responsáveis pela elaboração do plano de curso, de acordo com as demandas levantadas pelas unidades prisionais, capacitação dos funcionários da SAP e certificação. Os funcionários da SAP, por sua vez, capacitarão os reeducandos das unidades prisionais”, explicou Martha. (A.I / CATI)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores

Quem sou eu

Minha foto
Presidente Venceslau, Estado de São Paulo, Brazil
email: jornalintegracao@terra.com.br