quinta-feira, 18 de maio de 2017

Hidrelétrica de Rosana completa 30 anos em operação




Vinte de maio de 1987: a data é um marco na história do aproveitamento hidrelétrico o rio Paranapanema. Com cerimônia festiva, a UHE Rosana – localizada na cascata do rio, no ponto mais próximo da foz – colocava em operação o seu primeiro grupo gerador. A obra seria finalizada quase dez anos depois, em 1996, quando os quatro grupos geradores passaram a operar, capacitando a usina a gerar 354 MW de energia limpa. 

Iniciada em 1980, a usina foi construída tendo de um lado Rosana (SP) e do outro, Diamante do Norte (PR). Apesar das dificuldades econômicas que afetaram as obras das hidrelétricas nas décadas de 1980 e 90, Rosana prosseguiu em ritmo normal. 

Seu reservatório de 261 quilômetros quadrados, equivalente a 34 mil campos de futebol, possui mais de 430 quilômetros de bordas alcançando 13 municípios, cinco deles paulistas e oito, paranaenses. Uma vez instalado, extrapolou sua finalidade principal, que é prover a usina da água necessária à geração, e passou a atender a usos múltiplos pela comunidade. A beleza cênica e a qualidade das águas impulsionaram o turismo na região, e as cidades banhadas pelo represamento vêm encontrando na atividade turística uma forte vocação econômica.

Hoje sob a concessão da Rio Paranapanema Energia – subsidiária do Grupo CTG no Brasil –, a UHE Rosana realiza diversos programas ambientais importantes para a região, como os de Promoção Florestal e reposição do estoque pesqueiro. Dentre as várias iniciativas de relacionamento com as comunidades vizinhas, destaca-se a programação cultural itinerante, que ao longo do ano disponibiliza vários projetos gratuitamente, e o programa de visitação.

A concessionária abre a UHE Rosana para escolas de ensinos fundamental, médio e universitário, e grupos vinculados a instituições governamentais e não governamentais. Conduzidos por monitores especialmente treinados e seguindo a um roteiro técnico, os visitantes têm a oportunidade de conhecer o funcionamento da hidrelétrica e ficar por dentro dos programas ambientais da companhia. Agendadas, as visitas devem ser solicitadas pelo site ctgbr.com.br/contato/.

Energia do Paranapanema
Com 930 quilômetros de extensão, o Paranapanema é um grande rio de águas limpas. Em seu curso acidentado, com um desnível próximo de 600 metros, as quedas foram aproveitadas para a geração de energia elétrica desde a pequena usina Paranapanema, implantada em 1936.

A partir de 1958, com a inauguração da usina Salto Grande – a primeira construída pelo governo do Estado de São Paulo, num projeto arrojado, de repercussão nacional –, o Paranapanema confirmaria sua vocação de mover turbinas e alavancar o progresso. Hoje, suas águas alimentam 11 hidrelétricas – oito delas, sob concessão da Rio Paranapanema Energia–, produzindo energia limpa e renovável para os brasileiros.

RAIO-X
Localização – entre Rosana (SP) e Diamante do Norte (PR)
Início da operação – 1987
Conclusão – 1996
Turbinas – 4 tipo Kaplan
Potência – 354 MW
Área do reservatório – 261 Km²
Perímetro – 433 Km
Cidades banhadas: Euclides da Cunha Paulista, Mirante do Paranapanema, Rosana, Sandovalina e Teodoro Sampaio, na margem paulista; Diamante do Norte, Inajá, Itaguajé, Jardim Olinda, Paranapoema, Paranavaí, Santo Antônio do Caiuá e Terra Rica, do lado paranaense. (A.I)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores

Quem sou eu

Minha foto
Presidente Venceslau, Estado de São Paulo, Brazil
email: jornalintegracao@terra.com.br