sexta-feira, 23 de junho de 2017

Homem que matou jovem em Rancharia é condenado a quase 30 anos de prisão

Julgamento aconteceu no Fórum de Rancharia nesta quinta-feira (22)
 (Foto: Raouf Gharib/Cedida)

Julgamento aconteceu no Fórum de Rancharia nesta quinta-feira (22)
 (Foto: Raouf Gharib/Cedida)

Daniela Bezerra Vieira da Silva, de 22 anos, foi encontrada morta, 
em Rancharia (Foto: Reprodução/Facebook)

Réu foi condenado a uma pena de quase 30 anos de prisão
 (Foto: Raouf Gharib/Cedida)

Corpo da jovem foi encontrado em banheiro público em Rancharia
 (Foto: Luís Guilherme Silva Santos/Cedida)
O avicultor Eduardo Ferreira Sandrini, de 34 anos, foi condenado nesta quinta-feira (22) a uma pena de 29 anos e quatros meses de reclusão, em regime inicial fechado, por homicídio duplamente qualificado, com requintes de crueldade e perversidade, pela morte de uma jovem de 22 anos, em janeiro de 2016, em Rancharia. O julgamento foi realizado no Tribunal do Júri, no Fórum da Comarca de Rancharia, e durou quase sete horas.

O juiz Flávio Augusto Reinert dispensou as testemunhas, que eram apenas de referência, e ouviu somente o réu. Houve, ainda, a votação dos jurados que, ao chegar aos quatro votos diretos pela condenação do indivíduo, foi encerrada. O julgamento começou às 9h30, contou com 1h15 de intervalo e terminou às 17h30.

Conforme o advogado da família da vítima, Samir Haddad Júnior, “a família está feliz com a pena”. “Saíram satisfeitos. Não vai trazer a Dani de volta, mas alivia. Estavam ansiosos para o julgamento. Sabiam que [o réu] estava preso, mas queriam a condenação”, salientou ao G1.

Segundo o advogado, Rancharia “mostou que o crime é punido duramente”. “É uma cidade pacata, do bem, e, quando aconteceu isso, a sociedade se mobilizou. O juiz foi justo dando a sentença alta. São 20 anos em que ele não vai atacar mais ninguém. Agradeço ao promotor [Rafaelle de Filippo Filho], que se empenhou, me deu espaço para fazer meu trabalho. Estamos com a sensação de missão cumprida”, salientou ao G1.

Já o advogado de defesa do réu, Agemiro Salmeron, informou ao G1 que, pelo desejo de Eduardo Ferreira Sandrini, recorrerá da decisão e fará um recurso para tentar reduzir a pena. “Achamos que foi alta, mas está dentro do normal”, disse.

O crime
O crime que vitimou Daniela Bezerra Vieira da Silva, então com 22 anos, aconteceu em janeiro de 2016. Ela foi encontrada morta por populares caída atrás de um vaso sanitário em um banheiro público, na Praça Elpídio Marchiani.

Segundo o Corpo de Bombeiros, a jovem foi encontrada em estado rígido, com o rosto inchado e apresentando marcas de agressões.

A Polícia Militar informou que Daniela Bezerra Vieira da Silva trabalhava na tesouraria de uma igreja católica na Vila Tereza, em Rancharia.

Segundo a polícia, a jovem foi encontrada com uma perfuração no pescoço e pequenas marcas de sangue, porém, a corporação trabalhou com a hipótese de estrangulamento.

(G1 Prudente)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores

Quem sou eu

Minha foto
Presidente Venceslau, Estado de São Paulo, Brazil
email: jornalintegracao@terra.com.br