quarta-feira, 21 de junho de 2017

Ladrões de banco são presos em operação conjunta das polícias Civil e Militar


Imagens captaram a ação e contribuíram na identificação 
dos criminosos (Fotos: Polícia Civil/Cedida)

Ladrões tentaram abrir o cofre, mas
 não obtiveram êxito (Foto: Polícia Civil/Cedida)

Interior da agência estava revirado e funcionários constataram
 o furto (Foto: Polícia Civil/Cedida)

Criminosos pegaram sacos com moedas da agência, mas os deixaram
 no estabelecimento, segundo o delegado (Foto: Polícia Civil/Cedida)

VW Santana, que seria utilizado nos crimes, foi apreendido 
(Foto: Polícia Civil/Cedida)

Imagens captaram a ação e contribuíram na identificação dos
 criminosos (Foto: Polícia Civil/Cedida)
Quatro homens, com idades entre 22 e 25 anos, foram presos nesta terça-feira (20) durante uma operação conjunta entre as polícias Civil e Militar. Os indivíduos são acusados de integrarem um grupo criminoso especializado em furtos a agências bancárias.

De acordo com a PM, três homens foram localizados em Presidente Prudente e um, em Tarabai. Todos foram encaminhados à Delegacia da Polícia Civil, em Pirapozinho, de onde partiu o inquérito.

Na manhã desta terça-feira (20), as corporações se uniram para o cumprimento de mandados de busca e apreensão e também de prisão temporária por furto e formação de quadrilha. Conforme a Polícia Militar, a ação ainda resultou na apreensão de um VW Santana, com placas de Pirapozinho, que seria utilizado para a prática dos crimes, de celulares, de documentos e de valores encontrados nas residências durante as buscas.

De acordo com o delegado Marcelo Costantini, de Pirapozinho, os mandados foram expedidos em razão de uma representação que teve como base uma investigação ocorrida desde o dia 17 de abril de 2017.

Na data, mediante arrombamento, indivíduos, até então desconhecidos, ingressaram em uma agência bancária da cidade, quebraram o sistema de segurança e tentaram danificar o cofre para subtrair a quantia em dinheiro que havia em seu interior.

Blindagem reforçada
A apuração ainda constatou que os criminosos agiram nas madrugadas dos dias 16 e 17 de abril de 2017, de acordo com o delegado.

Na primeira data, os indivíduos garantiram o acesso à agência e fotografaram o cofre. Na segunda, de acordo com Costantini, certamente após estudar qual procedimento utilizar para abrir aquele modelo de cofre, retornaram e o executaram, entretanto, durante o procedimento, o sistema de segurança da fechadura do recipiente efetuou seu travamento e, com isso, os criminosos não obtiveram êxito em sua abertura.

Segundo constataram os técnicos da instituição financeira, tais indivíduos demonstraram conhecimento sobre o procedimento para a abertura do cofre. Mas, em razão da blindagem reforçada e do travamento da fechadura, foram necessários dois dias de trabalho até que os técnicos da agência conseguissem abrir o cofre.

No dia 17 de abril, uma segunda-feira, ao chegarem para trabalhar, funcionários da agência bancária constataram o furto. A polícia foi comunicada e, em minuciosa análise do local do crime, feita em conjunto com a equipe de perícia do Instituto de Criminalística, foram coletados indícios a partir dos quais a Polícia Civil iniciou a investigação.

Funções específicas
De acordo com Costantini, com o apurado por meio da análise do local dos fatos, das imagens captadas, do trabalho de campo e de informações obtidas por técnicas de inteligência policial, foi possível identificar os autores, contra os quais a Polícia Civil representou pela expedição de mandados de prisão temporária de cinco dias e de busca e apreensão para os seus endereços.

Houve a decretação dos mandados pela Justiça de Pirapozinho e foi deflagrada operação policial para o cumprimento. A ação foi realizada pela Polícia Civil, em Pirapozinho e Presidente Prudente, bem como pela Força Tática e pelo Canil da Polícia Militar, de Presidente Prudente. Ao todo, participaram cerca de 50 policiais e 12 viaturas. Aproximadamente dez endereços ligados aos criminosos foram vistoriados e os quatro investigados que tiveram a prisão decretada foram capturados.

Os quatro homens foram encaminhados à Delegacia da Polícia Civil, em Pirapozinho, para interrogatório e indiciamento em razão do cometimento dos crimes de furto qualificado, mediante arrombamento e concurso de agentes, e de associação criminosa.

Ainda ficou evidente, segundo o delegado, que os criminosos possuem vínculo permanente para o cometimento de crimes, inclusive, com indivíduos que contam com funções específicas, conforme declarou um dos presos, que alegou ser especialista em desligar alarmes de segurança e em abrir cofres.

Costantini ainda salientou que os quatro detidos possuem diversas passagens policiais por crimes de furto e roubo e todos haviam sido colocados em liberdade pouco tempo atrás.

(G1 Prudente)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores

Quem sou eu

Minha foto
Presidente Venceslau, Estado de São Paulo, Brazil
email: jornalintegracao@terra.com.br