sábado, 10 de junho de 2017

Professor e médico Zé Hamilton do Amaral morre aos 82 anos

Corpo de Zé Hamilton está sendo velado na 
Organização Presidente
(Foto: Arquivo PB)
O médico e professor universitário José Hamilton do Amaral faleceu na noite desta sexta-feira (09) na Santa Casa de Presidente Venceslau. Ele tinha 82 anos de idade e estava internado no hospital venceslauense desde a noite da última quarta-feira (07). Zé Hamilton, como era conhecido, enfrentava um câncer há vários anos e veio a óbito por volta das 23 horas.

Zé Hamilton foi formado em Medicina pela Faculdade Nacional de Medicina da Universidade do Brasil em 1960 e fez especialização em Medicina Legal pela Associação Médica Brasileira em 1971. Foi professor da área de saúde nas duas maiores universidades na região de Presidente Prudente (Toledo e Unoeste) além de professor da Academia de Polícia Civil de São Paulo.

Uma das características marcantes do médico e professor era a habilidade de lidar com as pessoas e ser conselheiro e amigo. Inteligente e articulador tinha consciência de sua importância no cenário político e social da região.

Como professor desenvolveu ótimos trabalhos acadêmicos e contribuiu com conhecimento teórico em diversas obras. Zé Hamilton também era conhecido pela oratória eloquente e por vezes foi palestrante de importantes eventos voltados a saúde na região.


Por vezes foi escolhido paraninfo de turmas de formandos de medicina. Há cerca de 20 dias participou pela última vez de uma cerimônia de formatura de novos médicos da Unoeste.

Em 2010 emocionou os alunos de medicina da Unoeste em cerimonia de formatura com um discurso inflamado. Em um trabalho de pesquisa do PORTAL BUENO, foi possível encontrar no site do repórter Sinomar, o texto proferido por Zé Hamilton e que cabe como uma homenagem neste momento. Leia abaixo na íntegra.

“Obrigado por ter me escolhido paraninfo de sua turma. Obrigado por se lembrarem do velho professor. Aqui, agora, é o momento de suas vidas, algo inesquecível, que ficará gravado nos seus corações”.

Agora, olho no olho, brilho no olhar. Fiquem de pé, olhem para seus pais, suas mães e digam Muito Obrigado! Digam que esta conquista também lhes pertence, que o diploma que recebem hoje também é deles. É hora de dizer amo vocês, meus pais, meus avós. É hora do calor humano, reviver a memória da alma. Gratidão é a memória da alma! Queridos pais, mães, avós, personagens principais dessa hora, abençoem seus filhos, suas filhas. Digam que valeu a pena acreditar. Que a semente é boa, e a terra é fértil. Que o futuro é de novas realizações. Pais adorados, nada se compara a essa emoção que estão vivendo. Parabéns! Estamos devolvendo seus filhos, suas filhas, com a absoluta convicção do sucesso que eles vão conquistar. 

Meninos e meninas! Médicos! Já temos saudades de vocês, por todos estes anos que vivemos e não vamos esquecer. 

Esse nosso curso de Medicina, que ensina tanta coisa, tem um problema. Não sabe ensinar a esquecermos. Pelo contrário, ensina a amar.
Vocês escolheram a ciência e a arte de curar. Escolheram uma profissão difícil, infinita, complexa, exigente. Mas fiquem tranquilos. Não existe profissão igual. Nada no mundo é mais nobre, que o exercício da Medicina. 

Mas o nosso lugar é um só: estar sempre, incondicionalmente, ao lado da vida humana. Não aceitem o aborto, a eutanásia. Não exerçam duas éticas, uma para o paciente do SUS, e outra para o que paga. A Medicina é uma só.


O ato médico não se encerra quando você constatar que seu paciente está numa situação irreversível. Não abandone nunca o seu paciente. Seu lugar é ao lado dele. Segure a mão de seu paciente. O Médico tem que estar incondicionalmente ao lado da vida humana. 

A vida humana tem um valor incomparável. Nada tem sentido se a vida humana não for o fato de maior significado. 

Não se faz Medicina sem alguns princípios: retidão, justiça, honestidade, humanismo, solidariedade. Nunca se esqueçam disso. Não se faz Medicina sem os princípios da dignidade humana. Na vida, não sejam coadjuvantes, sejam os atores principais, façam o seu próprio caminho. Acreditem na terra, no trigo, nos animais. Mas, antes de tudo, santinhos e santinhas, sintam a dor do Ser Humano, que necessita ter a alegria de viver. Nunca deixem seu sonho apagar!

Transformem seus sonhos em realidade e o amanhã terá gosto de felicidade.

Errar, sim, isso é humano, mas nunca por negligência. Não se permita. O descaso pela vida é inaceitável. Quando perder a coragem, a gana, o amor pela Medicina, a vontade de servir ao próximo, é hora de mudar de profissão. A mais nobre das profissões não permite fraquejar. Exige homens fortes diante da vida e da morte. 

A vida reside nas coisas simples. O homem está cada vez mais longe da simplicidade.

Rezem para morrer jovens de alma, ainda que estejam velhos. Somente os que têm o espírito generoso da juventude – não importa em que idade – é que na escuridão da noite enxergarão a estrela que anunciou o Menino Jesus.
Assumam o papel de serem humanos médicos. Isso diferencia cada um de nós de todos os demais. 

Estejam sempre prontos para prestar contas com o criador.

Existem momentos em que somos endeusados, idolatrados. Em outros momentos somos anjos da morte, responsabilizados pelo insucesso. Não se deixem levar pela glória e o aplauso. Extraiam as melhores lições da crítica. O elogio é fugaz. Sobre a crítica você constrói uma nova vida. Diga o que você sente e as pessoas saberão compreender.

Não existe sorte nem azar, mas consequências de tudo que fazemos. 

Conviver com vocês foi maravilhoso. Lembrem-se dessa casa com carinho. Que Deus os acompanhe e os conservem sensíveis, amigos, fraternos, desprendidos, inseridos na sociedade.

Dignifiquem a vida humana!
Realizem seus sonhos!

Tenham sucesso!”
(Portal Bueno)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores

Quem sou eu

Minha foto
Presidente Venceslau, Estado de São Paulo, Brazil
email: jornalintegracao@terra.com.br